FR EN DE ES IT PT
Duncan MacCocker deu provas de criatividade e Brendo Welsh escapou de seus captores, mas e o Djaïllat Koubiac? Depois de uma impressionante demonstração de bravura, Helgaga sofreu um terrível ferimento que poderia vir a ser fatal...

A luz do dia e o ar puro lhe devolvem um pouco de esperança e energia, mas sua visão está turva. Helgaga dá alguns passos para fora da barraca, de onde sai uma fumaça escura e espessa. Desorientada e enfraquecida, a Osamodas desaba no chão. Ela se certifica de que sua Iopfuna exausta, Faya, não foi esmagada sob seu peso: a criatura volta a si lentamente.

Duncan MacCocker, que observava de longe, vai correndo ao encontro de sua companheira de batalha.

– Helgaga! O que aconteceu? – o Kilorf nota a ferida no lado direito do abdome de sua colega e corre para colocar pressão e estancar o sangramento. Ah, não...

– Não se preocupe, Dunky... Foi só um arranhãozinho – tenta minimizar a guerreira fragilizada.

– Eu não sou besta, Helga! Sei reconhecer um ferimento grave. Vou cuidar de você... Mas sinto muito por sua Iopfuna, tive que improvisar…

Na mesma hora, a ave ataca furiosamente o canídeo e começa a bicar a cabeça dele repetidamente antes de repreendê-lo em uma linguagem incompreensível.

Ai! … Ai! … Ai!... Sinto muito, criaturinha! Pensei que faria apenas fumaça...

Helgaga esboça um sorriso dolorido. Seu rosto se fecha repentinamente quando ela vê o Padre Nynio sair da barraca em chamas. Este último olha para a direita, depois para a esquerda, até cruzar o olhar de sua inimiga. Duncan percebe a mudança no semblante de sua colega e se vira imediatamente, mas o Feca tenebroso lança sobre ele uma Borrasca que o afasta de sua protegida e o arremessa duramente contra uma árvore, atordoando-o.

– Embora você seja uma abominação... meio Iop, meio Osamodas... vou perdoá-la.

Impiedoso, o Padre Nynio executa o feitiço Atonia: o ataque de fogo parte furiosamente em direção à Osamodas, mas Faya surge na frente de sua mestra para sofrer os danos no lugar dela...

– NÃÃÃO! – grita Helgaga.

A Iopfuna, fumegante, cai. A Osamodas estende o braço o mais longe possível para tentar pegá-la, mas a pobre criatura se esborracha a alguns centikametros dela, toda chamuscada. Uma lágrima escorre pela bochecha da Pergamante. Ela a enxuga de sua mandíbula apertada.

– Vai finalmente aceitar sua redenção? – admoesta o padre, tirando uma adaga de sua toga e brandindo-a sobre a cabeça de Helgaga. Ele está prestes a aplicar sua sentença quando uma flecha mágica acerta sua mão, interrompendo e obrigando-o a largar a arma.

Aaaah!!! Quem se atreve a cometer tamanho sacrilégio?

O Padre Nynio olha para a direita e reconhece o Pandawa arqueiro, cercado de quatro Iopfunas, cada uma com uma espada Iop entre as garras afiadas.

Djaïllat Koubiac! Como é possível?

– Com força de vontade e alguns amigos, tudo é possível – responde o aventureiro com um grande sorriso e a língua de fora. Não é, meninas?

Com um zumbido inquietante, Foyo, Fiyi, Feye e Fuyu concordam.

– É isso aí, Djadja!

O Padre Nynio olha para a esquerda e reconhece a Eniripsa explosiva, que brinca de jogar para o alto uma granada rosa estampada com uma flecha de sentido duplo. Dois outros Iopfus armados e perigosos o encaram. De repente, a cabeça do pregador começa a girar...

– O que... o que você fez, seu barril de leite de bambu?

É um feitiço de embriaguez à distância, velho louco. Só um Pandawa digno deste nome pode dominá-lo de modo que ele não represente um perigo para a saúde...

O Padre Nynio vacila, depois cai no chão e começa a rastejar em busca de sua adaga. Ele a encontra e tenta atacar Helgaga mais uma vez, mas Brendo Welsh arremessa sua bomba entre os dois oponentes! Uma suave explosão dá origem a uma nuvem rosa algodoada que se dissipa aos poucos. Quando o nevoeiro desaparece, Helgaga já está de pé novamente e observa o Padre Nynio se contorcendo no chão, segurando o lado direito da barriga.

– Aaaah! Que maldição odiosa é essa, bando de hereges?!

É uma bomba de cura – explica Brendo, aproximando-se de Helgaga. Bom... depende de quem a recebe! – continua ela, passando uma mão nas costas da colega de equipe. Eu a batizei de "Na Mesma Moeda". Ela troca as feridas de um aliado com as de um adversário. Ou, melhor, com as que ele não tem!

– Seu castigo estará à altura da sua... Hm hmmm!!!

Duncan cobre a boca do Padre Nynio com fita adesiva e, em seguida, esfrega as patas com um ar satisfeito.

Enfim reunidos, os quatro amigos se felicitam e se abraçam, até que Brendo pega Faya no colo delicadamente.

– Acha que pode fazer alguma coisa? – pergunta Helgaga, preocupada.

– Pobre piuzinha... Ela vai sair dessa, vou cuidar muito bem dela.

– Helgaga, eu... – balbucia o Kilorf, envergonhado.

– Não se preocupe, Duncan – diz a Osamodas, dando-lhe um tapinha reconfortante no ombro. – Você fez o que precisava ser feito, mas, por favor... não faça de novo! (dirigindo-se a todos) Agora... devemos nos apressar! Precisamos salvar rapidamente os agentes e milicianos que ficaram presos na barraca em chamas!

Helgaga sai correndo em direção ao fogo, seguida de perto por seus valentes Iopfus.

– Pelo visto ela recuperou toda a energia! – exclama Djaïllat, aliviado.

Uma risada abafada interrompe o alívio da tropa. O Padre Nynio rola no chão, gargalhando, apesar da boca tapada.

– Acho que agora ele endoidou de vez... – comenta Duncan antes de descolar a fita adesiva da boca do padre para verificar a hipótese.

– Hahahahaha! Huhuhuhu! Vocês acham que escaparam! Haha! Ai... isso dói...

– Você está enlouquecendo, padre! Brendo vai curar você depois de Faya... Enquanto isso, um pouco de dor vai lhe fazer muito bem... – acrescenta Djaïllat.

– Eles estão chegando! ... cof! cof! Eles estão vindo pegar vocês! Haha!

– Venham me ajudar! – chama Helgaga de dentro da barraca.

– Pode ir, Djaïllat, eu fico de olho nesse doido – garante Duncan.

O Pandawa faz um joinha e vai ajudar Helgaga a salvar as vítimas do incêndio. O silêncio retorna. Uma leve brisa acaricia a pelagem do aventureiro canino. Duncan sente que há algo de errado. Ele levanta o focinho e fareja. O vento sopra novamente. O Kilorf reage.

– Pelo amor dos deuses! Ele tem razão...

– É o fim para vocês! Haha! O fim!

De pé, Duncan sorri para ele.

– Pelo visto, você realmente não nos conhece. Juntos, somos capazes de tudo. Juntos, somos uma guilda. Juntos, somos... a Liga dos Aventurosos Pergamantes.

*****

Episódio 1

Episódio 2

Episódio 3

Episódio 4

A Ascensão dos Pergamantes é agora em DOFUS!