FR EN DE ES IT PT

Nos últimos tempos, os dozeanos estão chegando em massa para explorar uma Pandala novinha em folha. Muita cautela nessa hora! Não dá para se aventurar por essa mítica ilha do Mundo dos Doze sem ter o mínimo de preparação antes. A Agência de Turismo Classe A está oferecendo uma visita guiada das 6 zonas que compõem a ilha. Depois do vilarejo de Pandala, um passeio por Ardala!

Como todo aventureiro que se preze, você acha que pode perambular pela ilha de Pandala só com suas roupas de baixo e seu canivete, sem a menor dificuldade. Que ingenuidade... Ainda bem que a Agência de Turismo Classe A dá conta de tudo, sempre pronta para informar e alertar jovens insolentes da sua laia! Esta semana, Renibol Smif vai lhe mostrar o ponto culminante da pitoresca ilha do Mundo dos Doze: Ardala. Atenção: o vento vai soprar forte pra caramba!

Os habitantes de Ardala gostam de viver ao ar livre. Ali, a atmosfera que preenche os pulmões tem uma pureza inigualável. Ela proporciona uma sensação de bem-estar eleveza, quase dando a impressão de que estamos levitando. Ué... Opa! Cuidado! Desça logo daí, você vai se machucar! Isso... Muito bem.

O lugar é muito propício à meditação, provavelmente graças ao Espírito do Vento. Calmo e sereno, ele defende a liberdade e o aperfeiçoamento de si, incentivando cada indivíduo a se recolher para encontrar no fundo da própria alma as melhores virtudes. Em compensação, a maioria das pessoas que já tentaram encontrá-lo ficou no maior vácuo! Com uma verdadeira alma de ermitão, o Espírito do Vento evita ao máximo entrar em contato com os habitantes de Ardala. O motivo dessa desconfiança toda com relação ao seu próprio povo? Os conflitos que opõem os Kozarus e os Pandawas e, de forma geral, a personalidade dos dozeanos, que sempre se deixam dominar pelo ódio e pela violência.

Assim, é nesses cumes preservados que residem os Kozarus. Um povo que escolheu viver isolado e que passa a maior parte do tempo canalizando sua energia através da prática de artes marciais. Pelo que parece, a convivência deles com os Pandawas está cada vez mais difícil... Dizem que foi uma discórdia em matéria de religião que deu origem a essa rivalidade. Ainda bem que Ardala é um lugar que favorece igualmente o foco no aqui e agora, como pregam os adeptos do Grande Puda. Então, não deixe as desavenças, baseadas em conflitos religiosos dos quais você provavelmente não entende bulhufas, estragarem a sua estadia nessa relaxante região... Assim como o Espírito do Vento, deixe a vida te levar!

Quer dizer... Se você estiver a fim de se meter no que não foi chamado e com vontade de uma boa briga, fique à vontade, claro!

Ardala é, sem dúvida, um lugar em que todo mundo passa a maior parte do tempo olhando para o céu. Ali, nuvens de tipo cúmulo e alto-cúmulo adquirem formas bastante estranhas. Aliás, quem consegue interpretá-las é considerado como um verdadeiro sábio. Nossa! Um Papatudo andando de skate! A menos que seja... uma linguiça surfando? Ah, não! É um Papatudo cavalgando uma linguiça! Ou então... Bom... Definitivamente, não é fácil adivinhar.

Nosso pequeno tour de Ardala terminou! Encontro marcado semana que vem para mais uma visita guiada, desta vez com foco em Fogodala. Novos esboços e estudos originais serão revelados!

Enquanto isso, desejamos-lhe uma boa estadia nas terras pandalianas. E não se esqueça: o Leite de Bambu deve ser consumido com moderação...