FR EN DE ES IT PT

A aventura está a mil em DOFUS desde que Pandala voltou tinindo de nova. Como se a ilha mítica do Mundo dos Doze tivesse acordado com tudo depois de um longo sono de beleza… Mesmo assim, não vá correndo com tudo para as novas armadilhas feito um Iop: leia antes a visita guiada em seis escalas da Agência de Turismo. Dessa vez, a parada é em Akwadala!

A sul de Pandala, banhada pelo mar, há uma região ensolarada conhecida por ser "a terra dos reflexos": Akwadala, a abundante. Desde tempos imemoriais, ela supre as necessidades primárias dos Pandawas, oferecendo uma terra inigualável para o cultivo do arroz e águas transbordando de Pesks selvagens. Mas não se deixe enganar pelas promessas de idílio e abundância: a região tem um lado sombrio e abriga criaturas malignas, os Kwapas, servos de uma misteriosa "Dama das Águas"…

OS ARROZAIS LAPOSAS

Em tempos idos, Inali, pequena deusa do arroz, falou ao povo Laposa. Ninguém sabe ao certo as palavras que ela murmurou, mas, desde esse dia, as Laposas cavam arrozais e cultivam a terra para que ela ofereça o precioso cereal.

 

A DESTILARIA DE LEITE DE ARROZ FERMENTADO

Você já sabe que os Pandawas têm o péssimo hábito de fermentar qualquer coisa... assim, dos arrozais abundantes para o leite de arroz fermentado foi um pulo! Mas esse pulo exigiu audácia, porque, nessas terras, existe uma bebida considerada superior a todas as outras e patrimônio dos aventureiros de pelo curto, preto e branco: o leite de bambu fermentado! Desnecessário dizer que a aprovação da bebida alternativa ainda não é unânime, e os mais irredutíveis chegam a considerá-la sacrilégio. Entretanto, aos poucos, o leite de arroz fermentado e seu novo derivado, o Shakê, estão ganhando espaço.


CALABOUÇO: O VALE DA DAMA DAS ÁGUAS

Atravesse uma frágil ponte de madeira, suba uma grande escadaria esculpida na rocha e você chegará a um vale maravilhoso, onde filas de bambu farfalham sobre lagos e córregos. Aí, se essa beleza toda não tiver cegado você, você vai notar... que ela está infestada de Kwapa!

Reza a lenda que essas monstruosidades querem afogar todos os dozeanos. Elas atraem as crianças para raptá-las e entregá-las à ondulante Dama das Águas


A PONTE DAS RÃGORDAS

Se quiser passar longe dos Kwapas e ter um pouco de paz e serenidade, seu desejo será atendido na ponte das Rãgordas. Esse lugar sagrado, diretamente ligado ao Espírito da Água por uma belíssima cachoeira, vai levar embora a melancolia da sua alma. Além disso, ela realizará um desejo seu se você jogar um kama em oferenda ao espírito que frequenta o local. Atenção! Pode acontecer de uma Rãgorda engolir a moedinha no ar. Imposto justo: afinal, ela também mora ali...

O PORTO DE OSAKWA

Os Pandawas aprenderam com seus erros! Dessa vez, eles ergueram o porto na praia! Útil tanto para o lazer quanto para a pesca, ele serve também de ponto de partida para o porto de Madrestam (para quem cumpre a missão de acesso, claro). Para encontrar o navio, é só seguir a cantoria do capitão: "Osakwa ♫ lalala ♫ vai partir!".

AS FONTES AMALDIÇOADAS KYUSENJO

Enfeitiçadas pelos Kwapas, essas fontes transformam quem nelas se banha na criatura que se afogou ali. Assim, existe a fonte do Miaw Branco, a do Kwak Branco e a do Porco Pandaliano. Depois não diga que não avisamos!

Nosso pequeno tour de Akwadala terminou! Encontro marcado semana que vem para mais uma visita guiada, desta vez com foco em Terradala. Novos esboços e estudos originais serão revelados!

Enquanto isso, desejamos-lhe uma boa estadia nas terras pandalianas. E não se esqueça: o Leite de Bambu deve ser consumido com moderação...